domingo, 27 de janeiro de 2008

3ª Festa do Ano Novo Chinês

Hoje, no bairro da Liberdade, em São Paulo, aconteceu o último dia de comemorações do Ano Novo Chinês. 2008, pelo calendário chinês, é o ano do rato. Segundo as tradições é um ano de abundância, de realizações de projetos e de muitas oportunidades de crescimento pessoal.

Estive lá e acompanhei de perto uma intensa movimentação. Lojas e ruas cheias, pessoas de todas as idades, de todas as tribos, de todos os cantos da cidade e até do exterior. Um verdadeiro choque de culturas.

Uma das coisas mais interessantes que notei foi a diferença de velocidade dos orientais em relação à nós, os ocidentais. Enquanto vivemos freneticamente, ansiosos, correndo o tempo todo, eles são calmos, falam baixo e têem um olhar que transmite serenidade, calma e paz.

Em meio às lojas e ruas cheias é possível observarmos japoneses e chineses andando calmamente, como se cada passo dado tivesse que ser vivido plenamente. A impressão é que para eles o mundo gira muito lentamente.

Numa das lojas que entrei encontrei uma família muito simpática. Conversei por alguns minutos com a Teresa, 60 anos, dona da loja. Uma mulher bonita, muito bem vestida e de uma educação singular.

Além dela, o Sr. Katisujiro Osaka, 96 anos, seu pai, também estava na loja. Imigrante japonês chegou ao Brasil no início do século, em Santos.

Ela conta que ele fez de tudo um pouco pelas cidades que passou, e olha que não foram poucas. Santos, Ribeirão Preto, Juquiá, entre outras. O Sr. Osaka trabalhou na plantação e colheita de chá, também foi carvoeiro, além de trabalhar na plantação de bananas.

"Ele come muita banana", conta Tereza. "Talvez esteja aí o segredo de tanta vitalidade", finaliza orgulhosa, citando o ótimo estado de saúde do pai.

Muitos produtos importados podem ser encontrados no comércio local. Desde simples pedras até os mais variados trabalhos manuais. Desde um chaveiro até o que há de mais novo em tecnologia. A culinária é um caso à parte, mas, me atendei aos sorvetes de palito.

Uma novidade com a qual eu não esperava esbarrar. Vários sabores, importados da Coréia, podem ser encontrados em praticamente todas as lojas. Eu recomendo o de melão. Sim, de melão. Tem um sabor leve e completamente diferente dos tradicionais sorvetes brasileiros.

Outra curiosidade são os sabonetes com fragrâncias de frutas. Uva, morango, pêssego, laranja, limão. O cheiro é extremamente agradável e suas embalagens, muito bem boladas, chamam muito a atenção.

Umas das atrações mais procuradas foi a estátua viva. Com uma produção digna de elogios chamou muito a atenção de todos. A cada moeda recebida, ela fazia um gesto muito suave e, dava a cada contribuinte, um papel, uma espécie de "recado da sorte".

Infelizmente, não consegui uma foto do dragão. A aglomeração de pessoas à sua volta impossibitou a captura de sua imagem.

A organização do evento está de parabéns. Tudo muito bem organizado, nenhum tumulto ou confusão foram registrados. A festa acabou, mas, as lojas e a cultura estão lá diariamente.

Vale a pena conhecer.

Local: Av. Liberdade
Estação Liberdade do metrô

Um comentário:

Camila disse...

Eu adoro a Liberdade.......tem cada lojinha no Sogo Plaza...rsrs...e tem as coisinhas japonesas p comprar nessas lojas...eh tudo de bom...

Bjos