sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Quarta cirurgia afasta Ronaldo por 9 meses

Mais uma vez, o joelho foi o grande vilão da carreira do atacante Ronaldo. Operado, ontem, na França, o jogador já começará hoje mesmo o trabalho de fisioterapia.

A carreira de Ronaldo foi meteórica. Surgiu no Cruzeiro em 1993 e, já no ano seguinte, brilhava com a camisa do PSV, da Holanda.

A primeira cirurgia foi feita em 1996, para calcificar a patela do joelho direito. Em novembro de 98, já pelo Internazionale de Milão, rompeu o tendão patelar do joelho esquerdo. Cirurgia que o afastou dos gramados por 5 meses.

Uma convulsão no dia da final da Copa de 98, na França, até hoje, mal explicada, marcou de forma negativa a carreira do jogador.

Mesmo sem condições de jogo, o técnico Zagalo, bancou o jogador, e o resultado final já sabemos. Completamente sem condições de jogo, Ronaldo, pouco participou da partida e o Brasil acabou sendo derrotado por 3 a 0.

Na sua volta, em abril de 2000, num jogo contra a Lazio, o atacante teve novo rompimento do tendão patelar, desta vez no joelho direito. O detalhe, é que ele havia entrado em campo apenas 6 minutos antes.

Durante a recuperação, uma contratura muscular, impediu sua volta. Ronaldo ficou praticamente parado por 2 anos. E só ressurgiu, poucos meses antes da Copa de 2002, disputada na Coréia e no Japão.

Foram meses de treinamento intensivo e muita fisioterapia para recuperar a forma física e a confiança. Na Copa, o Fenômeno ajudou o Brasil a conquistar o pentacampeonato e, de quebra, foi o artilheiro da competição com 8 gols.

Depois disso, ele foi para o Real Madrid, e de lá pra cá, não emplacou mais. Brigas com treinadores e com a torcida, fizeram o jogador voltar para a Itália, desta vez para o Milan.

Não falarei aqui, do fiasco da Copa de 2006, na Alemanha, aquilo não era uma seleção. E Ronaldo, não foi o único culpado.

Após um recomeço promissor na Itália, voltou a sofrer uma série de lesões musculares que o impediram de dar continuidade à sua carreira.

Na quarta feira, em Milão, contra o Livorno, num lance completamente banal, dentro da pequena área, apenas 3 minutos após sua entrada em campo - a queda e o choro, causaram a perplexidade de todos que ali estavam e de outros milhares de torcedores espalhados pelo mundo.

O joelho, de novo ele, fez o Fenômeno cair.

A pergunta que fica é: Será que Ronaldo, 31 anos, será capaz de renascer novamente para o futebol, tal qual uma Fênix?

Que ninguém duvide. Pois, Ronaldo, não é Fenômeno por acaso.

Nenhum comentário: