sábado, 31 de maio de 2008

Sinal Fechado 1969 - 2008

Na última semana procurava alguma música que desvendasse o mundo em que vivemos. Por pura casualidade, a canção que mais se aproximou foi Sinal Fechado, de Paulinho da Viola.

Melhor ainda, a música foi gravada em 1969, ou seja, há praticamente 40 anos. Alguns trechos são extremamente interessantes no que diz respeito ao futuro, a correria nossa do dia-a-dia, a busca incessante do tempo perdido, de um sono tranqüilo.

A letra, na verdade, é um diálogo entre dois amigos, cada um no seu carro, parados em frente a um “sinal fechado”.

Naquela época, as pessoas já viviam uma vida atarefada, com milhões de compromissos e, principalmente, reclamavam da falta de tempo para cuidar do lado pessoal e afetivo. Já prometiam retornar uma ligação, sabe-se lá quando. Marcavam encontros que não seriam realizados.

Havia muito mais com o que se preocupar. A cabeça andava cheia, ver um amigo ou alguém especial era tarefa das mais difíceis. Parar para bater um papo na mesa de um bar era complicadíssimo. E olha que falamos de 1969.

Se antigamente, sem internet, trânsito, celular, e-mail, televisão etc., as pessoas já lamentavam a vida agitada e vazia que viviam, o que não dizer dos dias de hoje?

Afinal de contas, temos tudo. Todos os meios de comunicação possíveis e imagináveis e, mesmo assim, damos inúmeras desculpas para as pessoas que nos cobram algum tipo de contato. Acho que já nascemos com esse pensamento, sabiam?

Procuramos ocupar tanto a nossa mente com tantas coisas que estão à nossa volta, que não percebemos a vida mecânica que vivemos. O filme Tempos modernos, de Charles Chaplin, talvez seja a obra perfeita para o nosso tempo. Mesmo tendo sido gravado em 1936.

Acordamos, trabalhamos, estudamos, “ficamos”, comemos, bebemos, dormimos. Mas, parece que nos final das contas o corpo fez tudo sozinho. Coube a nós apenas a tarefa de ligar o botão do “piloto automático”. Pronto. Agora deixa a vida me levar.

É necessário parar e pensar sobre isso. Talvez passar um fim de semana com o computador desligado. Sair e deixar o celular em casa. Esquecer o saldo negativo da conta. Não ligar, não mandar e-mail para os seus amigos e, sim, ir até eles.

Por melhor que sejam os meios de comunicação de hoje, nada, em tempo algum, irá superar o sorriso e o abraço verdadeiro. O calor humano é fundamental para continuarmos sendo Homo sapiens.

6 comentários:

Poliana disse...

Oee
Olha eu aqui emmm primeirisisisissima mão comentando no seu blog!
Adorei, principalmente o contexto hitórico que envolveu.
Mais ainda acho que vc deve escrever mais sobre os temas!
Ow vc dexa de propósito esse gostinho de quero mais?????
uhaahu

Beeijos!

LU disse...

só para infomar que lí seu blog e realmente vc tem toda razão quanto MODERNIDADE.
Vc citou também um filme "Tempos modernos" e eu tive um trabalho na facu tempos atrás onde era necessário que todos nós estivessemos assistindo para poder fazer um comparativo da da época e o que vivemos hoje.
Parabéns vc está escrevendo muito bem!

bjos

Karen Asche disse...

Perfeito!!!!
Adorei o texto...ótimo Blog.

Juliana Petroni disse...

Acredito que o mundo evolui, porém as pessoas se esqueceram de dar valor às coisas simples, como a amizade verdadeira, um bom bate papo entre vizinhos, entre outras coisas....
bjosssss

Patrícia ΙΧΘΥΣ ツ disse...

Pois é... a gente cria formas de facilitar o dia a dia para abreviar a correria e acabamos cedendo espaço para mais tarefas.

Os meios de comunicação que deveriam aproximar as pessoas inflam nossas bolhas e estimulam a intimidade com o computador.

Como estaremos daqui 40 anos?

Obrigada por mais um texto excelente que nos faz pensar.

Bjkz!

tati disse...

Como sempre, muito bom o seu texto!
Isto me fez lembrar um texto que vimos o ano passado com o Seu xará Marcos, se não me engano do Barbero. Ele falava que nós andamos tão apressados, que não reparamos nas pessoas ao nosso lado, que não temos mais diálogo. Aquele costume do interior de sentar na praça e conversar sobre a vida; que as cidades são feitas com tantos viadutos que ligam uma coisa à outra e na verdade não ligam ninguém à ninguém...
E isto é verdade, pois quando abrirmos os olhos, já se passou o tempo, as pessoas já se foram e não aproveitamos tudo....vale muito a pena refletir sobre isso!!
Bjosssssssssssss