segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Quando acaba o sonho...


Que a vida não é um conto de fadas todos nós sabemos. Que ela é cheia de alegrias e tristezas, também.

Feita de sonhos e, também de pesadelos, a vida segue irremediavelmente seu rumo.

Somos, muitas vezes, reféns deles. Queremos realizá-los a qualquer custo. Aprendemos ao longo do tempo que tudo tem começo, meio e fim.

E o que acontece com a nossa mente quando algo que poderia se tornar realidade, de repente, acaba?

Não há respostas para tal questionamento. Ouvi dizer, não me lembro quando, que ao termos nosso sonho desfeito, a tendência é esquecermos. É provável.

Para quem acompanha este espaço, pôde perceber que há tempos as palavras andaram escassas. Simplesmente sumiram. Aliás, retirei textos que muitos consideravam lindos, perfeitos, demais etc.

Não foi por mal, não foi por nada, aliás, não foi por acaso. Aquelas palavras perderam o sentido no meio ou quem sabe, no fim do caminho. Simplesmente se foram. Ficaram no vazio.

O sonho que fica pelo meio do caminho não volta mais. Morre, muitas vezes, de inanição. E quanto mais o tempo passa, mais anuviado fica. Estranho isso. Mas é assim mesmo.

Cheio de pedras, o caminho se torna mais duro. E nós, mais maduros.

Vejo pelo retrovisor o sonho que se foi. Olho para frente e vejo novos sonhos. A vida é assim. Que fique claro: "Me orgulho de ter sonhado!!!"

Como diria Renato Russo: Podem até maltratar meu coração, mas meu espírito ninguém vai conseguir quebrar!!!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Ufa! Acabou! Pelo menos por enquanto!

Por enquanto é “finito”. Acabou. Adeus stress. Textos guardados. Sensação de dever cumprido.

Meses de aulas, cansaço, sono, dedicação, leitura, trabalhos, e afins.

Ufa!!! Não foi fácil. Agora é tempo de relaxar a mente e esperar que as notas sejam aquelas que desejamos e lutamos para conseguir.

É meus amigos. Uma, duas, três... no final foram sete provas. Maçantes, massacrantes, duras, complicadas, complexas. Valeu o esforço de todos.

Corredores lotados entre uma turma e outra. Um a procura do outro para sanar aquela última dúvida. Alguns preferiram a solidão. Talvez sozinhos tivessem mais facilidade para guardar aquele detalhe que poderia fazer a diferença.

O mais engraçado de tudo isso é que as matérias que realmente fazem parte do curso, como Procedimentos em jornalismo, Jornalismo on-line e Conceitos e gêneros, foram até certo ponto, as que menos deram trabalho.

Nossas mentes estão voltadas agora para aquelas outras que só estão na grade para encher nossa paciência, tais como: Ciências da Linguagem, Comunicação Comparada e Técnicas de som e imagem.

Digam-me: já imaginaram uma SUB em uma dessas matérias? Seria o fim, não? Também acho. Até porque, acredito que tenham sido as piores provas da temporada 2008.
Infelizmente, como diria um amigo meu: “Agora não tem choro, nem vela e nem fita amarela.” A sorte está lançada.

Que Deus e “as canetas que corrigirão” nossas provas estejam de bom humor e nos dê a alegria da passagem para o 3º ano.

Boa sorte a todos!!!