quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Exclusão digital

Tenho recebido e-mails de alguns amigos que me perguntam por onde ando e o que tenho feito da vida. A resposta é simples. Trabalho durante a semana e procuro curtir os meus fins de semana, como sempre fiz.

Talvez o que eles estranhem é o fato de eu não aparecer mais nos msn´s, orkut´s e e-mails da vida. Tentarei explicar o porquê deste sumiço.

Nos últimos anos falei com várias pessoas por meios eletrônicos. Vi pouquíssimas pessoalmente. De certa forma isso tem me irritado. São sempre conversas para marcarmos encontros que nunca se realizam.

Ninguém tem tempo para nada, somente para conversas virtuais. Que saco!

Na última semana fui até a Universidade e encontrei com um amigo, o Montanha. Sentamos, colocamos o papo em dia e tomamos uma cerveja. Que maravilha!

Com outras pessoas, não funciona. Não adianta. Todos só querem saber da porcaria da internet. Perdi a paciência. Então, daqui prá frente será assim.

Não adianta mandarem e-mails, recados no orkut, mensagens pelo celular. Querem saber como estou, liguem. Bate papo agora só ao vivo e em cores. Exceto para aquelas pessoas que estão longe, muito longe...

Continuarei a ler e a comentar todos os blogs, como sempre fiz, podem ficar tranqüilos.

No mais é isso. De volta aos anos 80. Deixemos os computadores de lado e vamos à luta.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

A vida em fotos!!!


Primeiro post do ano. Falar sobre o quê? Complicado. Muito complicado.

Decidi escrever sobre as fotografias que todos temos guardadas em algum canto.

De repente você está sozinho em casa e começa a revirar as caixas amontoadas em seu guarda-roupa. O resultado é surpreendente.

Você se depara com fotos que há muito não vê e volta a um passado que mais parece o dia de ontem. Analisa a figura e, automaticamente se transporta para o momento em que ela foi capturada. Que delícia!

O amigo da escola, do trabalho, da rua, aquela garota com a qual você teve um affair. A foto tirada em um dia de domingo com a família, naqueles churrascos que parecem não ter fim. É um barato.

Durante este breve período você tenta se lembrar de como foi aquele dia. Como tudo aconteceu. Vê sorrisos, abraços, beijos, uma multidão de rostos e situações que com certeza gostaria de reviver.

Uma coisa bem legal é reparar o quanto você e, principalmente, o mundo, mudaram de lá prá cá. Suas roupas, o corte de cabelo, os filmes, as músicas, as pessoas.

No meu pacote, especificamente, tem uma que não canso de rever. Foi tirada em 2005, quando eu quebrei o meu tornozelo, em uma partida de futebol. Na época, nada na minha vida tinha importância. Tudo era motivo para desprezar o futuro.

Foram 60 dias de reclusão. Trancado em meus pensamentos. A mudança era necessária e, graças a Deus, ela veio. Talvez, dentre as centenas de fotos que eu possuo, seja a mais significativa.

O motivo será esclarecido em breve, neste mesmo espaço.

Enfim, é um exercício que vale a pena e eu recomendo. O passado registrado está aí para ser lembrado e revisto, sempre.

E o futuro, como diria Toquinho: ... é uma astronave que tentamos pilotar... e que em breve também se transformará em belíssimas fotos.

Assim espero.