sábado, 28 de março de 2009

Skol, propaganda e violência

A nova propaganda da cerveja Skol sobre torcedores traz uma imagem, no mínimo, de mau gosto. Ao falar sobre a paixão dos homens pelo futebol, a empresa acertou em cheio, mas, a última cena não agradou.

Nela, um torcedor é atingido por um saquinho, com um líquido dentro, que não sabemos exatamente o que é. Mesmo assim, ele finge que não foi nada e, todos riem.

A propaganda fere o bom senso. Não podemos aceitar que isso seja normal, a ponto de parecer simplesmente um comercial divertido. Não é. A violência não pode ser banalizada.

Não podemos perder os poucos valores que ainda restam em nossa sociedade. A educação e o respeito ao próximo não podem ser jogados no ralo, como demonstra tal imagem.

Isto influencia negativamente a ida aos campos de futebol e incita a violência gratuita. Já bastam as cenas reais das barbáries cometidas pelas torcidas organizadas nos últimos anos.

Imaginem uma família quando assiste ao comercial? O que pensa? Será que teria coragem de se arriscar a ir ao estádio? Duvido.

Ao mesmo em que a Skol tenta fazer as pessoas vibrarem e torcerem pelos seus times, ela os intimida e os afasta dos campos de futebol.

Nos outros pontos, ela segue à risca o pensamento dos verdadeiros amantes da bola. Ignoramos a namorada, abraçamos homens suados, gritamos com a televisão etc. Este sim é o espírito.
Nossa prioridade é torcer, não agredir o adversário.

terça-feira, 24 de março de 2009

Hollywood era aqui



A Avenida São João já foi um dos cartões postais da cidade de São Paulo e, também, um pólo de lazer e cultura. Ali se concentravam as grandes salas de cinema, antes, é claro, da construção dos shoppings centers.

“Eram outros tempos. Hoje não temos segurança, por isso as pessoas migraram para os shoppings. Lá, além de um ambiente mais confortável, você não é obrigado a enfrentar mendigos, guardadores de carros e bandidos”, assim, Horácio Mastrorosa, 60 anos, dono de uma banca de jornal na Praça da República, lamenta a transformação ocorrida nas últimas décadas.

No lugar dos cinemas, o que vemos hoje, quando andamos nos arredores do centro velho, são igrejas evangélicas, prédios abandonados e, invariavelmente salas que exibem filmes pornográficos. Apenas o Cine Olido resistiu ao tempo. Isso só foi possível após uma ampla reforma em toda a galeria.

Em compensação, outros não tiveram a mesma sorte. O Comodoro, o Cine Espacial, o Ipiranga e o Cine Regina, tradicionais pontos de encontro nas décadas passadas, foram fechados. Nem suas fachadas resistiram ao tempo e ao abandono. No lugar do Metro, foi instalada uma filial da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Uma das soluções encontradas pelas grandes redes de cinema é a restauração de alguns prédios. É o caso do Cine Marabá. Em frente ao antigo edifício, uma placa informa a construção de cinco novas salas, dentro dos atuais padrões de conforto e tecnologia.

Mesmo assim, a imagem de uma cidade desgastada e degradada, deixa as pessoas frustradas. As reclamações são inúmeras. “Você não consegue dar dez passos sem ser incomodado por moradores de rua. Quem sabe, a revitalização dos cinemas, bares e hotéis, não traria novos ares para a região”, finaliza Mastrorosa.

domingo, 8 de março de 2009

Ele voltou!!!


A chegada foi triunfal, digna de uma estrela de cinema. A Fiel torcida teve o presente que pediu a Deus. Ronaldo voltou ao futebol brasileiro após 15 anos.


Visivelmente fora de forma, o Fenômeno proferiu as seguintes palavras: “Aqui tem mais um louco, para se juntar a esse bando de loucos”. Mesmo assim, a desconfiança era grande.

Aqui neste espaço, no dia 15 de fevereiro do ano passado, escrevi a respeito da quarta cirurgia sofrida pelo jogador ao longo de sua carreira. Veja o link:
Terminei o texto com as seguintes palavras:

“A pergunta que fica é: Será que Ronaldo, 31 anos, será capaz de renascer novamente para o futebol tal qual uma Fênix? Que ninguém duvide. Pois, Ronaldo, não é Fenômeno por acaso”.

Pelo jeito, as preces de todos foram ouvidas. Cerca de 400 dias após a cirurgia, ele voltou. Treinou duro, perdeu peso, fez tudo aquilo que dele exigiram. Errou algumas vezes no meio do caminho, mas, no geral, o dever de casa foi cumprido.

Foram 23 minutos contra o Itumbiara, poucos toques na bola, alguns piques e nada mais.

Hoje, em Presidente Prudente, diante do maior rival do Corinthians, a coisa começou a mudar. Um chute na trave, depois uma bela jogada pela esquerda e um ótimo cruzamento para André Santos.

Era o indício de que o Fenômeno estava com fome de bola. Mas Deus, em sua infinita sabedoria, sabe mais do que ninguém guardar o momento certo para pessoas iluminadas, como Ronaldo.

Até os 45 minutos do segundo tempo, o jogo estava 1 a 0 para o Palmeiras. Escanteio para o Corinthians. Douglas cruza na segunda trave, e de um jeito pouco convencional, ou seja, de cabeça, Ronaldo empata o jogo.

Delírio em Presidente Prudente, festa nas arquibancadas, loucura total dentro de campo. Ronaldo corre como um menino para torcida. Pula no alambrado. Comemora o gol como se estivesse no início da carreira. É o recomeço.

Bom para o Corinthians, ótimo para o futebol mundial. Pela quarta vez, o maior artilheiro das Copas, volta aos gramados. Novamente para brilhar.

Ronaldo, só existe um. E para alegria de todos nós brasileiros, ele está aqui.

Seja bem vindo Ronaldo. A Fiel te recebe de braços abertos!

sábado, 7 de março de 2009

8 de março: O Dia Internacional de Vocês!!!


O que seria do mundo sem Você? Já tentei imaginar, mas é uma missão impossível.

Toda a delicadeza da Terra reside em suas mãos. A criatura mais sublime do planeta. Um mundo, que já não é grande coisa, sem Você ficaria ainda mais sombrio, triste, monótono.

Sua existência alegra a nossa vida. Sua sutileza faz nossa alma suspirar. Seu sorriso ilumina nosso caminho. Seus olhos transformam qualquer dia ruim em poesia.

Nada pode ser mais doce, mais delicioso, mais terno e mais caloroso do que o seu coração. Um coração que, invariavelmente, bate no compasso da mais linda e sublime melodia. Pois é, Você, que antes era submissa, agora é dona de si. Deixou para trás a dependência para criar sua própria independência. Que bom. Aliás, que ótimo.

Você: mãe, filha, avó, tia, irmã, sobrinha, prima, amiga... neste dia que é só seu, ao amanhecer, olhe para o céu. Respire fundo e diga:

Obrigado Senhor, por eu ter nascido Mulher!