quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Farra Olímpica

A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida na última semana como a sede das Olimpíadas de 2016.

O curioso é que a escolha não foi baseada em competência, mas em exclusão.

Tóquio não poderia ser eleita, uma vez que, Pequim, também no continente asiático foi a sede dos últimos jogos.

Madrid, nem pensar. A cidade de Londres, na Inglaterra, que sediará a competição em 2014 fica na Europa.

Chicago, nos Estados Unidos, além de não ter tido o apoio da população, já possui 80% das instalações prontas.

Portanto, não serve para os interesses financeiros do Comitê Olímpico Internacional.

Quem sobrou nessa história? O Rio de Janeiro. Que receberá investimentos de mais de 50 bilhões de dólares.

Neste caso, políticos, empreiteiras, construtoras e o COI, poderão usar e abusar dos cofres públicos.

E o Rio? Bem, o Rio de Janeiro, como diria Gilberto Gil, “continua lindo...” com suas favelas e suas balas perdidas.

E, para terminar, o Brasil vai inaugurar uma nova modalidade olímpica: Saltos orçamentais!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

É, realmente Marcos. Minha mãe sempre me dizia que depois das refeições vinha a sobremesa, e depois das obrigações eu podia me divertir. Esse investimento poderia ser direcionado para outros interesses da população como segurança, saúde pública entre outros! Primeiro vamos arrumar a casa, depois pensamos em "jogar".
Abraços meu caro!
Felipe Mininelli!

Anônimo disse...

É, agora é só aguardar a mais nova versão da CPI, após, claro, o modelo: copa do mundo. A CPI olímpica. Mas tudo bem. Como tudo no Brasil, principalmente no estado fluminense, é festa, vamos comemorar.
Êêêêêêêêê!
Edson Ribeiro.

Iêda disse...

Bom texto!Adorei os "saltos orçamentais". rs
bjo