quarta-feira, 18 de abril de 2012

Matemática da vida


A vida funciona da seguinte maneira: se acumularmos problemas, eles serão cada vez maiores. Se dividirmos alegrias, elas serão cada vez menores. Matemática pura.

Se tivermos uma dívida e não a saldarmos, consequentemente, ela será maior no mês seguinte. Se sentirmos uma dor e não formos ao médico, evidente, que ela se tornará crônica. Já o contrário, se não beijarmos, abraçarmos, distribuirmos amor, aos poucos, essas pequenas alegrias se perderão pelo caminho. Definharemos e ficaremos ocos por dentro. Frios e sem sentimentos.

Temos a mania de dizer que tudo está errado e que nada dá certo em nossas vidas, e nos damos por satisfeitos, simplesmente, por conseguirmos sobreviver. Que vida é essa que pretendemos levar?

Neste momento, os problemas se tornam tão grandes que ocupam todo o nosso pensamento. Definhamos, sofremos, esquecemos que ao nosso redor, o mundo gira. E como gira.

Tentem fazer justamento o oposto. Dividam seus problemas e os resolva um a um. Em pouco tempo eles acabarão. Pelo menos irão diminuir, isso é fato.
Transformem o tédio em melodia. Sorriam pela manhã, à tarde e à noite. Beijem a pessoa amada e os entes queridos sempre que possível. Abracem os amigos. Multipliquem as alegrias. Dê atenção às pequenas e importantes coisas da vida como cordialidade, felicidade, companheirismo. Compartilhe sua vida como um todo e não apenas os problemas.

Não amanheça com a cabeça no trânsito, no ônibus lotado, nas contas para pagar. Imagine o carinho da volta. Você estará na sua casa, rodeado das pessoas que tanto ama e quer bem. No abraço dos pais, filhos, netos, marido, mulher, não importa.

A sua recompensa será: pessoas felizes e satisfeitas à sua volta. Quem sabe, sua conta no azul. Seus pais, filhos, namorada (o) e irmãos sorridentes por multiplicarem e compartilharem sua felicidade.

Vivemos apenas uma vez. Não podemos desperdiçar nosso tempo com lamentações. Devemos, sim, usarmos todo o tempo que temos com alegria e satisfação.

Lembrem-se: A vida só é possível reinventada. Reescreve sua história em busca de um final feliz!

Se gostou, compartilhe. Essa é a chamada Corrente do Bem!