quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Pais, filhos, vida....

Interessante ver como o tempo passa e não nos damos conta disso. Curioso ver como nossos filhos crescem e, quando percebemos, lá estão eles, ao seu lado, curiosos, famintos por histórias de vida e sedentos por também contá-las.

Sempre fui muito crítico dos meus filhos, acredito que, desta forma, eles terão um olhar mais amplo sobre o mundo e sobre tudo aquilo que os cerca. O que nunca imeginei foi o fato de eles me ensinarem, com toda a inocência, como a vida pode ser algo engraçado.

Ao me deparar com tal situação fiquei intrigado e, ao mesmo tempo, feliz em saber o quanto cresceram e se tornaram meus amigos, além de filhos, é claro. Com eles, percebi que as madrugadas podem ser extremamente engraçadas, emocionantes, diferentes e singulares.

A história é sempre a mesma: basta uma palavra para que o início de um diálogo logo se transforme em horas de gargalhadas, lágrimas, broncas dos dois lados, histórias emocionantes e uma cumplicidade que me fascina.

Falamos sobre tudo: Deus, família, escola, passado, presente, futuro, sexo, drogas, música e amor. Afinal, o que sabemos sobre tudo isso? Muita coisa e, ao mesmo tempo, nada. São três mentes com pensamentos parecidos, mas, longe de serem unânimes em qualquer um desses assuntos.

Enfim, este texto serve somente para que, nós pais, saibamos a importância que temos na vida dos nossos filhos e, principalmente, da importância que eles sempre terão na nossa.


Esqueça um pouco que é pai, mãe, avô, madrasta, padrasto e seja um pouco mais amigo dos seus filhos. Converse, fale muito e ouça mais ainda. Vocês irão se surpreender com que o que ouvirão e o bem que faz tê-los por perto.